Sun-Java e OpenJDK

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Olá.
Pra quem lida com aplicações java, deve ter percebido a ausência (por padrão) da localização do Java da Sun, num aptitude search.
Isso se deve ao projeto OpenJDK. Mais informações, na wiki. Resumindo de maneira rude, é um Java Livre.
Naquilo que uso, funcionou sem problemas. Mas ainda é possível instalar o Java 'original'. Segue a receita:

sudo nano (ou seu editor de preferência) /etc/apt/sources.list

Adicione ao seu final:

#java-sun
deb http://archive.canonical.com/ lucid partner

Salve e atualize com:

sudo aptitude update

Faça uma nova busca:

sudo aptitude search sun-java

Para instalação:

sudo aptitude install sun-java6-jre

Ou, caso opte pela instalação do OpenJDK:

sudo aptitude install openjdk6-jre

Referência: ubuntugeek

[]s

Ubuntu, uma lição fácil de aprender, melhor ainda de viver

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Existe uma palavra na língua portuguesa difícil de ser traduzida para outras línguas: saudade. Em vários países africanos, tem também uma muito maior em significado do que qualquer tradução: ubuntu.

Depois de um ano e meio morando na África, o repórter Renato Ribeiro, com imagens feitas ao longo desse tempo por Edu Bernardes, explica para a gente por que ela representa tão bem a mensagem que o continente quer passar nessa Copa.

África, a casa de todos nós. O primeiro homem foi africano, por isso entender esse continente é entender um pouco o que somos. Cinquenta e três países, quase 900 milhões de habitantes, mais de mil idiomas.

De que forma vemos os africanos? Talvez jamais tenhamos olhado da forma devida para eles. Que tal uma Copa do Mundo para romper o preconceito?

A partir desta sexta e durante um mês, um torneio de futebol terá o poder de inverter o mapa mundi. A África passará a ser o centro de tudo. Teremos a chance de conhecer melhor nosso irmãos.

E eles nos oferecem uma lição simples: ubuntu, uma palavra comum em várias línguas africanas, geralmente traduzida como humanidade. Mas é pouco. Ubuntu, uma palavra e muitos significados: amizade, solidariedade, compaixão, perdão, irmandade, o amor ao próximo. A capacidade de entender e aceitar o outro.

O prêmio Nobel da Paz, o bispo sul-africano Desmond Tutu, uma vez explicou: ubuntu é a essência do ser humano. Você não pode viver isoladamente, você não pode ser humano se é só.

Para outro Nobel da Paz, o ex-presidente Nelson Mandela, para ser feliz é preciso viver em coletividade, em harmonia com quem está a sua volta. Ou seja, tudo de bom que você pode sentir ou desejar a uma pessoa, os africanos resumiram em apenas seis letras.

Ubuntu, é isso que este continente deseja transmitir ao mundo durante a Copa. Uma lição fácil de aprender, melhor ainda de viver.

Ubuntu para todos nós.

Renato Ribeiro e Edu Bernardes (Globo)


Sensacional!

Para a Dell, Ubuntu é mais seguro do que o Windows

Uma das maiores fabricantes de computadores no mundo, a Dell, tem questionado os novos esforços da Microsoft para tornar o Windows mais seguro, afirmando que a distribuição Linux Ubuntu oferece uma maior proteção, principalmente pelo fato de ser menos visadas em ataques à segurança dos PCs, dado o reduzido número de usuários do sistema.

De acordo com o site IT PRO, a empresa resolveu dar um maior suporte ao Ubuntu, revelando inclusive, em um comunicado, 10 razões pelas quais os usuários de PCs deveriam escolher essa distribuição do Linux ao invés do Windows ao adquirir seus computadores.

A declaração da Dell, embora seja pró-Linux, pode não ser muito bem recebida pelos fãs “duros na queda” do sistema operacional do pinguim, que provavelmente prefeririam uma abordagem mais técnica sobre a excelência do software. A Dell até citou alguns desses pontos de excelência: maior segurança instrínsceca (mesmo invadido, é mais difícil um agressor conseguir fazer algo destrutivo no Linux), a inicialização rápida, o design elegante e o fato do Ubuntu ser ‘social desde o início’ – seja lá o que a Dell tenha querido dizer com isso.

“O Linux tem estado por ai há 20 anos. O software não é só estável e confiável, mas também universal. O Linux é utilizado em computadores de todos os tamanhos, desde os maiores aos menores”, defende a Dell em seu comunicado. Mas o motivo principal pelo qual os usuários devem abraçar o Linux, segundo o mesmo comunicado, é justamente o da “segurança pela obscuridade”: há menos usuários usando Linux, então ele é menos interessante para os agressores.

A Dell tem comercializado PCs com Ubuntu desde 2007, garantindo que todos os computadores foram testados para assegurar a melhor experiência de internet e multimídia que o Linux pode oferecer, informa o site The Register.

A intenção da Dell é deixar claro aos seus clientes e consumidores que não existe razão para temer um PC com Linux simplesmente porque ele não é exatamente igual ao Windows. Segundo o site Gemini, a empresa está se preparando para oferecer em breve a distribuição Ubuntu 10.04 LTS (Long Term Support – www.ubuntu.com) em diversos de seus produtos, o que justifica bastante o seu esforço de tornar o público mais receptivo ao sistema operacional.

IG Tecnologia


Tudo bem que sabemos que esse tal 'testemunho' tem forte interesse econômico e que algumas coisas, estão no mínimo estranhas, mas um aliado desse porte e bem visto desde tempos remotos, é sempre de grande valia.

[]s