Usando aplicativos do Windows no Linux

domingo, 15 de junho de 2014

Quem sai do Windows e começa a usar o Linux de cara já sente falta das aplicações favoritas.  Sabemos que boa parte do tempo que passamos em PCs hoje ficamos na Web, então de navegadores estamos bem servidos. Mas e o resto?

Versões como o Ubuntu e o Linux Mint são bem completas, elas já vem com players de audio, video, navegadores, leitores de PDF, exibidores de imagens, etc. Isso é um ponto fantástico do Linux, você já tem algo pronto que te ajuda a fazer o básico.

Mas e quando o básico não é suficiente?

E quando vc está tão acostumado a usar um determinado aplicativo que não tem versão para Linux ou você está habituado com uma funcionalidade que não tem nos programas similares do Linux?

Os defensores ferrenhos do linux vão dizer que a culpa é sua por não usar softwares corretos no Windows. Enquanto parte desse pensamento possa estar correta, nossa função aqui não é discutir filosofia de software livre, mas sim ajudar quem está fazendo a transição.

E é aí que entra o Wine.

O Wine é uma camada de tradução (um lançador de programas) capaz de correr aplicações Windows em Linux e noutros sistemas operativos compatíveis com POSIX. Os programas Windows a correr no Wine agem como se fossem nativos, executando sem as penalidades de desempenho ou uso de memória de um emulador, com um visual semelhante às outras aplicações do seu computador.

Wine (acrónimo recursivo para WINE Is Not an Emulator, isto é, WINE Não é um Emulador, em tradução livre) é um camada de compatibilidade para sistemas operativos UNIX que tem como objectivo a implementação da API do Microsoft Windows. Desta forma, em teoria, o Wine permite a execução de aplicações desenvolvidas para ambientes Windows nativamente noutros sistemas operativos. Wine, traduzido literalmente do inglês para o português, significa vinho, o que levou à escolha de uma taça de vinho como logotipo do Wine.

Por reimplementar as bibliotecas do Windows o Wine não é um emulador, não fazendo qualquer emulação para executar software para Windows. O WINE atua, então, algo como um "tradutor”.


Na prática, isso quer dizer: Instale o Wine, configure ele, tente instalar o aplicativo. Se rodar, ótimo! Se não rodar, consulte o site do Wine e veja se existe algum ajuste que possa ser feito para o seu programa favorito rodar.

Vou exemplificar com o meu player favorito de Audio, o XMPlay.

Vamos ver os passos para o Ubuntu 14.04. Digitem no terminal:

sudo add-apt-repository ppa:ubuntu-wine/ppa 
sudo apt-get update 
sudo apt-get install wine
sudo apt-get install winetricks
sudo apt-get install playonlinux
sudo apt-get install wine-launcher-creator

Isso irá instalar o Wine, o WineTricks e o Wine Launcher Creator.  Vamos agora a um pequeno guia de como usa-los:

Primeiro vamos configurar o Wine. Clique no menu Applications -> Wine -> Configure Wine, ou procure no Unity por Winecfg ou chame o WineCfg via terminal:


winecfg




Aqui escolhemos a versão do Windows que será "emulada" (por falta de termo melhor).  Eu deixei Windows 7.

Na aba Drives, podemos configurar as "unidades" que a aplicação irá enxergar como Unidades do Windows.



Na guia de Audio, podemos configurar a saida de som que as aplicações irão usar e podemos testar o audio. Aqui, eu deixei tudo no padrão.



E é isso.



O diretório "C" do Wine fica em /home/seu usuario linux/.wine/drive_c   (note o .wine, que significa que é pasta oculta).

Ali, vemos que existe a mesma estrutura de pastas de um drive C do windows.



Agora, para instalarmos uma aplicação do Windows, podemos fazer de algumas formas.  Se é uma aplicação que não precisa instalar, como o XMPlay, apenas descompactamos ela dentro da pasta Program Files e a executamos.

Caso a aplicação possua um instalador, devemos clicar com o Botão direito do Mouse sobre ele e irmos em Abrir com -> Wine Program Loader. Deixamos a instalação seguir normalmente e caso dê tudo certo, acessamos a pasta dentro do .wine/drive_c para abrirmos o programa. Caso dê erro, procure no WineHQ. As vezes você encontra uma dica do que fazer:  http://appdb.winehq.org/


Seguindo com o nosso exemplo do XMPlay, eu baixei o binário compactado do zite oficial: http://support.xmplay.com/files_view.php?file_id=653   extraí na pasta Program Files (x86) dentro do Wine.  Para abrir o programa, clicamos com o Botão direito do Mouse sobre ele e vamos em Abrir com -> Wine Program Loader  




Graças ao Wine, só precisamos fazer isso :)  




O que funciona:  Tocar músicas, todos os plugins (tenho vários para vários formatos de arquivo de musicas de consoles, trackers, MIDIS!, etc), scrooble para o lastFM, tocar pastas inteiras, arrastar pastas/arquivos e soltar dentro da janela, os temas, atalhos de teclado. Ou seja, basicamente tudo.

O que não funciona: Associação de Arquivos.

----
UPDATE: 27/06/2014

Corrigi as associações de arquivos. Agora, um duplo clique nas mp3 chamam direito o XMPlay!

Descubra como aqui: http://mudandoparaolinux.blogspot.com.br/2014/06/abrir-arquivos-com-um-programa-do-wine.html

-----


Concordo com vocês e sim, essa forma de abrir o programa é ruim.  Mas vamos trabalhar nisso.  Instalamos também o Wine Launcher Creator.  Ele está disponível em Applications -> System Tools -> Wine Launcher Creator  (seguindo os menus do MATE), ou procurem por Wine Launcher Creator no menu do Unity.




No primeiro campo selecionamos o local aonde está o programa, no campo Name escolhemos o nome do atalho.  Abaixo, podemos ver os ícones da aplicação e selecionar o que acharmos melhor. Quando tudo estiver terminado, clicamos em "Create EXE Launcher".

O Wine Launcher Creator irá criar um atalho para a aplicação no seu desktop. Esse atalho agora pode ser arrastado para as suas barras de ferramentas, tipo um "inicializacao rápida". Vejam:

 

Abrir o programa agora está a um clique! 

Ainda temos que trabalhar para definir a associação de arquivo para essa aplicação.  Mas isso eu não consegui fazer. :(


Mesmo mudando a associação para o XMPlay, quando reinicio o sistema o Ubuntu volta para o player de audio padrão.  Mas, consegui fazer com que o XMPlay apareça no menu ao clicar com o botão direito, o que é praticamente a mesma coisa.

Para fazer isso, vá até a pasta /home/seu usuario linux/.local/share/applications   Vejam que o Wine Launcher Creator colocou um atalho para a nossa aplicação ali também, dentro da pasta wlcreator. Copie o atalho de lá e coloque-o na pasta anterior (applications)

Agora, abra o arquivo mimeapps.list com o editor de texto. Cole no terminal: 


gedit ~/.local/share/applications/mimeapps.list


E adicione os campos, dentro de [Added Associations]. Aqui, eu sei que as extensões são essas. Veja:



O Audio/mpeg informa para o navegador de arquivos mostrar a opção em arquivos mp3, mp4, etc.  O inode/directory informa para exibir a opçao para pastas.

Após salvar o arquivo, ao clicar com o mouse sobre uma pasta, ou sobre um arquivo de audio, vemos isso:



E era isso o que eu queria :)    Não abre direto, mas isso já supre essa necessidade!

----
UPDATE: 27/06/2014

Corrigi as associações de arquivos. Agora, um duplo clique nas mp3 chamam direito o XMPlay!

Descubra como aqui: http://mudandoparaolinux.blogspot.com.br/2014/06/abrir-arquivos-com-um-programa-do-wine.html

-----

Posso usar no Linux um player de audio que eu gosto, que sou familiar com o comportamento e os atalhos, que tem todos as funcionalidades que eu preciso.  Não consegui corrigir as associações de arquivo, mas consegui uma forma de "minimizar" esse problema. Para mim está perfeito.

Aqui, por enquanto estou usando 4 programas via Wine e todos estão funcionando a contento:

  • XMPlay (só não funcionou as associações de arquivo).
  • FoxITReader (só não funcionou as associações de arquivo).
  • IrfanView (não funciona: Area de Transferencia e Scanner/Impressora)
  • uTorrent (não funciona: Parte da lista de arquivos. O resto está OK)


Resumindo: O Wine é fantástico!


Mas e o WineTricks?

O Winetricks é um assistente para instalar os programas via Wine. Ele já faz para você as configurações necessárias para o programa rodar.  O Lado bom é que você não precisa se preocupar. O lado ruim é que o número de aplicações é pequeno, por isso que eu resolvi mostrar como fazer "na mão", porque pode ser que vocês não encontrem o programa lá.  O XMPlay, por exemplo, não tem lá.

Outro programa similar ao WineTricks é o Play on Linux.  Ele é voltado mais para a instalação de Games, porém já tem vários aplicativos lá. Microsoft Office inclusive ;)



O playonLinux eu recomendo a vocês darem uma explorada. Ali tem bastante coisa.

Fontes:
http://wiki.winehq.org/Debunking_Wine_Myths
http://wiki.winehq.org/ImportanceOfWine
http://pt.wikipedia.org/wiki/Wine
http://www.diolinux.com.br/2013/07/wine-16-lancado-veja-como-instalar-no-ubuntu.html
http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Instalando-e-configurando-o-Wine/
http://appdb.winehq.org/votestats.php

2 comentários:

Phoenix disse...

Muito completo. Parabéns pelo guia. o/
O WINE realmente salva a ficha de vez em quando. Particularmente, sempre preferi me adaptar a alguma solução livre, mas existem algumas exceções, óbvio.
Player por exemplo, sei que é muito pessoal, mas o Clementine substituiu o espetacular Amarok muito bem. Hoje nem sinto mais falta dele (mesmo sendo Linux, já que houve aquela transição). Escritório é o Libre na cabeça (até hoje não deixou a desejar aqui) e os demais, default está ótimo. :)

[]s

Diego disse...

Sério que vc abandonou o Amarok? Wow!!!!!

Lá na empresa também usamos o Open Office durante anos, mas começaram a aparecer instalações do office "alternativas aqui e ali". Como estávamos com muitos problemas com e-mail (putz, o serviço da Mandic andava bem ruim), acabamos migrando tudo pro office365.

Eu ainda uso o open lá, mas agora com o "escritório do janelas" regularizado, ninguém mais quer saber :(

Abraço!

(estamos gravando podcasts de volta, nos domingos de noite. Apareça!!!!)